#SUPERDICAS: 7 dicas sobre o iPhone 7

 

Se você também está cogitando comprar o iPhone 7 ou 7 Plus, conheça a seguir sete detalhes sobre os smartphones – desde o preço até a câmera, passando pela promessa de durabilidade do dispositivo.

 

1) Tem mais armazenamento

 

O espaço interno aumentou no iPhone 7. Na geração anterior, a versão mais básica tinha 16 GB, enquanto agora o modelo com menor armazenamento é o de 32 GB. O mesmo ocorreu no modelo mais caro, que saltou de 128 GB para 256 GB. Em outras palavras, isso significa que tanto os consumidores dispostos a pagar mais quanto aqueles que querem economizar – se é que é possível falar isso de um iPhone – terão o dobro de espaço no iPhone atual do que no lançamento do ano passado.

2) Custa menos que o iPhone 6S

 

O iPhone 7 caiu de preço em relação ao 6S. Há um ano, na época de seu lançamento, o iPhone 6S chegava por aqui por R$ 3.999 em sua versão mais básica, de 16 GB. Enquanto isso, o iPhone 7 de 32 GB sai por R$ 3.499, uma diferença de R$ 500.
O modelo Plus seguiu o mesmo caminho: em 2015, o smartphone de 5,5 polegadas era lançado por R$ 4.299, ao passo que o iPhone 7 Plus de 32 GB custa R$ 4.099 – ou seja, R$ 200 mais barato.

 

3) Ganhou resistência à água

 

Os iPhones 7 e 7 Plus são os primeiros da Apple com resistência à água. Os dois têm certificação IP67, que lhes permite ficar a uma profundidade de um metro durante 30 minutos, além de oferecer proteção contra entrada de poeira. Mas aqui cabe um alerta: a própria Apple não recomenda que os aparelhos sejam submersos.
No site oficial, a fabricante diz que “a resistência à água, respingos e poeira não é uma condição permanente e pode diminuir com o tempo”, complementando com o seguinte alerta: “Danos decorrentes de contato com líquidos não estão incluídos na garantia”. Para bom entendedor, o recado da empresa da maçã está dado: se seu celular estragar depois de um mergulho, o problema será seu.

 

4) O Plus realmente oferece algo a mais

 

Nas gerações anteriores, a versão Plus significou quase tão somente uma tela maior. Isso continua sendo verdade no iPhone 7 Plus, cujo display de 5,5 polegadas é maior do que o do iPhone 7, de 4,7 polegadas. Só que agora o modelo também tem captura de imagens de melhor qualidade, graças à presença da câmera dupla, ausente no irmão menor.

A principal vantagem do componente é juntar duas câmeras de 12 megapixels cada, uma com lente grande-angular e outra com lente teleobjetiva. A combinação possibilita zoom óptico de 2x – o zoom “de verdade” – e zoom digital de 10x, enquanto o iPhone 7 tem somente zoom digital de 5x. Além disso, apenas o modelo Plus conta com o modo retrato, que aplica o efeito bokeh (aquele desfocado) no fundo das imagens, destacando o assunto central da foto.

 

5) São duas horas a mais de bateria

 

A bateria de 1.960 mAh do iPhone 7 dura até 12 horas nas redes 3G e 4G, duas horas a mais que a bateria de 1.715 mAh do iPhone 6S. No iPhone 7 Plus o ganho é de uma hora em relação à geração passada, que fazia 12 horas em 3G e 4G. Pelo menos de acordo com a própria Apple, a autonomia da bateria está maior agora.

 

6) Não tem saída de áudio analógico

 

A saída de áudio P2 desapareceu dos iPhone 7 e 7 Plus. Os smartphones acompanham EarPods com conector Lightning e um adaptador para porta 3,5 mm, mas é bom ter cuidado não perder as peças. O EarPod igual ao da caixa custa R$ 249 e o adaptador, R$ 79. Os badalados fones Bluetooth, chamados de AirPods, também são uma alternativa. Eles ainda não estão à venda, mas já se sabe que vão custar R$ 1.399 no país.

 

7) Você não pode ouvir música e recarregar a bateria ao mesmo tempo

 

A porta Lightning é a única entrada dos novos iPhones, o que gerou uma situação incômoda: agora não dá mais para ouvir música e recarregar o celular ao mesmo tempo, pelo menos não apenas com os fones de ouvido com fio. É claro que a própria Apple já criou suas soluções – vendidas separadamente – para contornar o problema.
Uma delas é comprar a base Lightning da maçã, que em sua mais recente versão recebeu a adição de uma entrada de 3,5 mm (e custa R$ 379). Outra saída é adquirir fones de ouvido Bluetooth. Felizmente é possível encontrar tanto adaptadores quando fones wireless em outras fabricantes, então dá para poupar algumas centenas de reais.